Estar em uma atmosfera completamente nova num país árabe é uma experiência inesquecível. Na série sobre países com cultura diferentes, é a vez da Jordânia. Nós conversamos com a autora do Blog Volta ao Mundo, Raphaella Requião Bicca, que compartilha sua experiência. “A Jordânia é um país encantador. Os turistas são muito bem recebidos. O que nós mais ouvimos foi “sejam bem-vindos”. Apesar disso, quem vai para lá – e também viaja para outros países árabes – precisa saber um pouco sobre a cultura e a religião local”, diz Raphaella.

Sem demonstrações de carinho em público

Em público, demonstrações de carinho não são vistas com bons olhos. Beijo então nem pensar. “Eu passei por uma situação engraçada quando viajei para a Jordânia. Em certo momento, dei um selinho no meu marido e um taxista viu e ficou bravo”, conta. Em compensação, um outro taxista fez algo que se tornou uma experiência bem marcante para a blogueira e o marido. Ao utilizar o táxi dele, ela pediu uma indicação de restaurante para jantar. O árabe logo os convidou para fazer a refeição em sua casa. “Pudemos conhecer um pouco mais sobre a cultura jordaniana. Um exemplo disso é que eles se alimentam com as mãos”, explica. Outra característica marcante do povo árabe é o fato de falarem alto. “Às vezes você pensa que eles estão brigando, mas não estão. É simplesmente o jeito deles. Bom, tem vezes que estão. Eles são bem explosivos”, brinca.

Lenço na cabeça para as mulheres

Raphaella aconselha, ainda, as mulheres que querem viajar para a Jordânia a levarem um véu para a cabeça para que possam entrar nas sinagogas. Na Jordânia, todas as mulheres aderem ao acessório. “Eu estava de saia longa e camiseta, sem nenhum tipo de decote, é claro”. Pensando nas compras na Jordânia? Siga algumas dicas: “As turistas podem comprar essas coisas lá. Há uma infinidade de lenços e echarpes com pedrarias e bordados. Tudo lindo e muito barato. Jóias de ouro e prata também são itens em abundância”, diz. A blogueira diz que na Jordânia as mulheres não costumam andar muito durante o dia na rua. Como elas recebem tratamento diferente em relação ao mundo ocidental, a recomendação é que as turistas andem por locais públicos sempre acompanhadas. “É preciso entender que é uma cultura e um país bem diferente do nosso. As mulheres têm de saber que vão ser tratadas de forma diferente e tomar cuidado com algumas coisas. Mas tem que ir com a cabeça aberta e saber se comportar para aproveitar tudo o que o país tem a oferecer. É muito enriquecedor”, garante ela. Foto: Blog Volta ao Mundo




Veja também

Categoria Premium é inaugurada no Deville Prime Salvador

Os melhores países para fazer intercâmbio

Reserva online