Talvez você já tenha pensado em viajar de moto pelo deserto da Patagônia. Ou pegar um ônibus para um destino desconhecido sem compromisso, apenas para conhecer pequenas cidades e descobrir hábitos diferentes. Mas na hora de definir seu roteiro de férias, acaba optando pela praticidade dos pacotes tradicionais, ou pelo conforto das viagens com roteiros pré-definidos. As viagens de experiência, inspiradas na busca de aventuras e sensações desconhecidas, vem conquistando muitos adeptos no Brasil. Elas ganham esse nome por diferenciar-se dos lugares comuns, saindo de destinos populares, deixando de lado as programações turísticas habituais e proporcionando para os viajantes experiências únicas e inesquecíveis. O Deville Starclub faz uma compilação de experiências turísticas curiosas, marcantes e até mesmo imprescindíveis para você planejar a sua viagem de experiência. 1. Moto tour pela Patagônia moto.jpg Não é à toa que nossa matéria começa citando esse destino, um dos preferidos dos brasileiros. A vizinhança com os países de destino – Argentina e Chile – é uma das razões pelas quais o roteiro de moto pela Patagônia costuma ser escolhido por quem busca novas experiências turísticas. Mas não é só isso que a Patagônia proporciona. Paisagens belíssimas em meio a cenários ora áridos, ora gélidos (é possível traçar roteiros cruzando a Cordilheira dos Andes) por si só já valeriam a viagem. Mas pelo caminho os viajantes fazem paradas por cidades próximas que fazem parte do roteiro obrigatório, como Ushuaia, na Argentina, onde ficam os únicos bosques antárticos do planeta. A passagem pela cidade de Pucón, no Chile, garante a vista para o vulcão Villa Rica, um dos mais ativos do país. No Brasil, já existem operadoras especializadas em organizar esse tipo de viagem. Afinal, mais do que espírito aventureiro, é importante estar bem equipado, o que inclui desde uma boa motocicleta até roupas para temperaturas abaixo de zero – em junho e julho, a média em alguns pontos da Patagônia é de 5 graus negativos. 2. Suécia e o sol da meia-noite Sol da meia noiteA viagem pode ser considerada uma experiência que mexe com os sentidos dos brasileiros, acostumados com a rotina e as estações bem definidas de um país tropical. Afinal, imagine morar num lugar onde no inverno os dias são escuros; e no verão, temos noites iluminadas. Este é um atrativo muito peculiar deste país nórdico, em que algumas cidades são contempladas com um dos fenômenos mais belos da natureza: o famoso “sol da meia-noite”. É o caso da capital Estocolmo e também de lugares mais bucólicos como o vilarejo de Abisko. O sol da meia-noite já foi tema de filmes, inspirou autores, poetas, e é resultado da localização do país, sob o Círculo Polar Ártico: a inclinação do eixo da Terra em relação ao sol faz com que no verão os dias sejam mais longos, proporcionando um espetáculo de beleza com sol à meia-noite. 3. Voar de asa delta no Rio de Janeiro Um dos destinos preferidos pelos turistas estrangeiros, que abriga cartões postais clássicos do Brasil – como o Cristo Redentor – o Rio de Janeiro oferece aventuras emocionantes para quem não tem medo de altura e já não se contenta com o passeio de bondinho. Uma das opções parte da Pedra Bonita, que fica a 525 metros de altura, com pouso na praia de São Conrado. O vôo dura cerca de 15 minutos, proporcionando um cenário cheio de belezas naturais e o clássico friozinho na barriga para quem tem coragem de aventurar-se nas alturas. Este tipo de aventura turística deve ser feito sempre com o acompanhamento de profissionais, e há dezenas de empresas especializadas em vôos turísticos de asa delta no Rio de Janeiro. 4. Jantar à luz de velas no deserto do Saara DesertoRomânticos inveterados, eis a prova de que qualquer lugar pode ser um bom lugar para uma nova experiência. Quem procura fazer turismo na região do Saara vai encontrar, além de muitos turbantes e passeios de camelo, a possibilidade de fazer um jantar à luz de velas em meio às dunas. Os passeios pelo deserto, de camelo, moto ou jipe, são feitos sempre com o acompanhamento de guias locais. De Erfoud, às “margens” do Saara, para Erg Chebbi, paraíso das dunas, é preciso passar a noite acampando em barracas típicas dos Berberes (o povo da região). Os guias também podem ser ótimos cozinheiros, auxiliando os visitantes no preparo da refeição. Sob a luz das velas, enquanto você janta, os ventos do deserto desenham as dunas ao seu redor. 5. Safári na Tanzânia Um dia em meio ao habitat natural de leopardos, zebras, girafas e outros animais selvagens que parecem não se importar com a circulação frequente de jipes. Cheios de turistas, os veículos passeiam quase que livremente pelos parques naturais da Tanzânia, como o Serengetti, um dos mais tradicionais. O safári é um misto de ecotour – pelo contato intenso com a natureza – com viagem de experiência; afinal, circular entre tantas espécies exóticas é a grande emoção do safári, transportando os turistas para um mundo só visto nos programas de televisão.




Veja também

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Home office está surpreendendo os empresários

Reserva online