O país escolhido pelo Deville para esta edição da série países com culturas diferentes é a Tailândia. A conversa acontece com o blogueiro de viagem Rafael Sette Câmara, do blog 360meridianos. Confira a experiência dele e inspire-se. Deville: Quais costumes na Tailândia chamam a atenção? Rafael: Muitos! A questão da religiosidade, tão presente no país, que tem uma das maiores populações budistas do mundo. Os templos, os monges e a forma como as pessoas se comportam nessas situações. E até a maneira como as pessoas falam. Na Tailândia, falar alto é visto como algo agressivo. Há um ditado que diz que a Tailândia é a terra do sorriso. Ou seja, numa situação tensa, o ideal é sorrir e não levantar a voz. Mas isso é muito complicado para turistas, que não entendem esse detalhe da cultura do país. Deville: Houve alguma situação engraçada que você viveu em relação à cultura local ou à forma como o país funciona? Rafael: Certa vez, ao pagar uma corrida de tuk-tuk (aqueles veículos motorizados de três rodas que funcionam como táxis), tivemos um pouco de dificuldade para dividir o dinheiro entre as pessoas do grupo. O motorista ficou impaciente, porque estávamos falando muito alto. Para ele, aquilo era uma ofensa. Pra gente não, era só o nosso tom de voz normal mesmo. No final ele se irritou, a situação ficou tensa, mas não deu maiores problemas. Foi só meses depois, já no Brasil, que nós entendemos que o problema foi causado pelo tom de voz. Ou seja, foi o choque cultural. Deville: O que é diferente lá? Rafael: Quase tudo. Até a forma como as pessoas pensam a vida é diferente. A Ásia é outro mundo, bem distante da lógica cristã, com a qual estamos tão acostumados. Ao mesmo tempo, certas coisas não mudam. E as pessoas continuam buscando a felicidade, passando por dificuldades, tendo dias bons e ruins, enfim, levando uma vida normal. Deville:  Por que foi interessante a sua visita? Rafael: É um país muito diferente do Brasil. Permite abrir a cabeça do viajante e dar uma outra visão de mundo. Ao mesmo tempo, não é tão impactante como outras partes da Ásia, tipo a Índia. Ou seja, é uma ótima porta de entrada para o continente. Deville: Quais são suas dicas para quem quer viajar para a Tailândia? Rafael: Faça um planejamento muito detalhado. Não é como passar as férias na Europa ou na Argentina. É preciso entender como aquele mundo funciona, quais são suas regras, seus costumes. Além disso, é prudente saber exatamente qual a melhor época para ir até lá, evitando o período das monções. Deville: O que levar e o que não levar para a viagem? Rafael: Isso varia muito. Leve um sorriso no rosto, muita informação e a cabeça aberta para novidades e outras formas de pensar. Se tiver isso, você terá o mais importante. Deville: Como se comportar na Tailândia? Rafael: Respeite a cultura local. Isso envolve não entrar de sapatos nas casas das pessoas e em templos, por exemplo. Também envolve não tocar em monges ou desrespeitar imagens de Buda ou do Rei. É bom evitar roupas muito curtas, principalmente em templos e lugares religiosos. Em alguns, a entrada com roupas assim nem é permitida – isso vale até para as bermudas dos homens. E muitas coisas mais. É exatamente por isso que é fundamental ler bastante sobre o país antes de sair de casa. Assim, a gente já vai sabendo como se comportar. Quer saber sobre outros destinos na Ásia? Confira nossas matérias sobre o Japão e a China.




Veja também

5 sites para encontrar histórias incríveis de viagem

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Reserva online