A história está sendo feita a todo momento e, com ela, vem a necessidade de preservar e homenagear grandes pessoas e grandes feitos. Sorte nossa: são cada vez mais museus ao redor do mundo, cada um com um charme especial. Conheça algumas das novidades que devem entrar no roteiro de sua próxima viagem: Centre Pompidou-Metz – Metz, França Centre_Pompidou-Metz_2.jpg O museu é a primeira descentralização de um estabelecimento cultural público na França e oferece aos moradores e visitantes uma vasta bagagem cultural – parte graças à herança do famoso Pompidou, em Paris. O museu é aberto a todos os públicos e formas de arte, tendo como objetivo principal a troca de conhecimentos e criações. No local, são realizados vários eventos e exposições anualmente, em um espaço idealizado pelos arquitetos Shigeru Ban e Jean de Gastines. Fondazione Maxxi – Roma, Itália Fondazione_Maxxi.jpg O Museo Nazionale Delle Arti Del XXI Secolo, em Roma, é a primeira instituição da Itália dedicada à criatividade contemporânea e com a finalidade de gerar novos bens para a cultura. O MAXXI tem dois museus: o MAXXI Architettura e o MAXXI Arte, cada um com exposições e eventos voltados para a sua área. Os museus oferecem ainda atividades como workshops, cursos, laboratórios e espetáculos, entre outros, todas com a finalidade de exercitar a inovação e a experimentação cultural. O MAXXI também encanta seus visitantes com uma belíssima arquitetura. O projeto de Zaha Hadid se destaca na paisagem romana, tomada por construções de diversos períodos. Leighton House Museum – Inglaterra Leighton_House_Museum.JPG O Leighton House Museum está localizado na antiga oficina do artista vitoriano Frederic Leighon, que viveu entre os anos de 1830 e 1896. Por isso, a experiência de visitá-lo não se resume a um belo e rico acervo: os visitantes têm também a oportunidade de conhecer o ambiente onde um legítimo artista da época trabalhava. No estúdio de Leighton, no primeiro andar, várias de suas principais obras nasceram. A construção data e 1864, mas ela sofreu várias alterações feitas pelo próprio artista até sua morte. Uma delas é a Arab Hall, uma parede coberta por azulejos de várias partes do mundo. Além de uma bela construção e das obras de Leighton, o museu ainda oferece eventos e atividades diversas ao público. Chopin Museum – Varsóvia, Polônia Chopin_Museum__2.jpg O museu surgiu no Ano de Chopin, em meio às comemorações de seu bicentenário, em 2010. Mas, mais do que uma homenagem, o local visa resgatar a memória do compositor e de sua obra, além de levar esse conhecimento e a cultura ao público. O museu é um dos mais modernos do mundo. Totalmente equipado com projetores, caixas de som e monitores, ele proporciona aos participantes uma experiência multisensorial. Além de objetos relacionados ao compositor, o museu conta com ambientes virtuais e telas touchscreen, uma maneira interativa e divertida de entrar em contato com esse universo. Pavilhão das Culturas Brasileiras – São Paulo, Brasil Pavilhão_das_Culturas_Brasileiras.jpg O foco do Pavilhão das Culturas Brasileiras, que fica no Parque Ibirapuera, é preservar e estudar a diversidade do nosso país. Todas as peças, que vêm de diversas regiões e diversos grupos brasileiros, estão abrigadas em um pavilhão de 11 mil metros quadrados projetado pelo arquiteto carioca Oscar Niemeyer. O museu possui ainda uma biblioteca e uma videoteca, além de espaço para ações educativas. Um auditório com capacidade para 152 pessoas abriga aulas, seminários e apresentações de música e dança. Os visitantes ainda contam com uma cafeteria e uma loja no local. Guggenheim Museum – Bilbao, Espanha Guggenheim_Museum.jpg O Museu Guggenheim, em Bilbao, é a filial do museu homônimo de Nova York e principal cartão postal da cidade. Apenas a vista da imponente construção já vale a visita. O projeto arquitetônico único é de autoria de Frank Gehry e foi inspirado nas imagens de um navio e de uma flor. A ideia era captar a luz em diferentes ângulos, refletindo os raios nas placas espessas de titânio que cobrem o museu. Depois de uma longa caminhada pelos arredores do museu, a visita ao seu interior também pode surpreender. A Fundação Guggenheim tem uma das coleções de arte do século 20 mais completas. As exposições itinerantes são compartilhadas pelos cinco museus espalhados pelo mundo. Obras de Yves Klein, Willem de Kooning e Richard Serra estão entre os tesouros do acervo. Riverside Museum – Glasgow, Escócia Riverside_Museum.jpg O Riverside Museum, assim como o Guggenheim de Bilbao, chama a atenção pela sua arquitetura. O projeto da iraquiana Zaha Hadid lembra uma onda e está situado às margens de um lago, formando uma paisagem harmoniosa. Em seu interior, está abrigado o museu do transporte, com cerca de 3 mil peças de várias épocas. O acervo é herança de uma cultura fortemente industrial construída na cidade. Os visitantes, além de passar horas explorando os diversos veículos expostos, podem aproveitar a paisagem do café do museu e levar para casa itens exclusivos relacionados ao transporte, todos disponíveis na loja do museu.




Veja também

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Home office está surpreendendo os empresários

Reserva online