Tecnologia

Você é um phubber?

Por admin em 4 de Maio de 2015

Você já ouviu falar no termo “Phubber”? É uma expressão nova que se refere às pessoas que ficam conectadas a um smartphone ou tablet em ambientes sociais e deixam de lado as pessoas que estão ao redor. Conhece alguém assim? Para falar sobre Phubbers, o blog entrevistou Nei Ricardo de Souza, psicanalista, mestre e doutorando em Sociologia e professor da Universidade Positivo, em Curitiba. Deville: Como o senhor avalia esse fenômeno em que cada vez mais as pessoas se tornam “Phubbers”? Souza: Instrumentos cada vez mais rápidos, eficazes, com alta resolução, bandas largas, pacotes ilimitados de transmissão de dados, tudo isso cria condições propícias para que fenômenos como o Phubbing se estabeleçam. Além disso, a visão de ter tudo à mão, automatizado e disponível na hora em que se quer, descompromissando a necessidade de esperar, de negociar e tolerar a frustração forma o contexto ideal para o Phubber. O resultado desta combinação é que se pode demonstrar uma forma de poder e autossuficiência da parte do phubber, características estas que combinam com a atualidade. Deville:  Com o desenvolvimento cada vez maior das tecnologias e principalmente dos celulares como meios de comunicação virtual, como o senhor pensa que serão os relacionamentos no futuro? Souza: Há uma dimensão do ser humano que creio ser inextinguível, que é o toque físico, necessário desde que ele vem ao mundo. Isso não é conseguido com nenhuma tecnologia, pelo menos não ainda, então aí tem um fator de preservação das relações. As tecnologias acabam interferindo, mas não sei se esta interferência será irrestrita. Parece-me que há um limite dado pela necessidade do toque físico e simultâneo, em que pese toda a parafernália tecnológica existente e por vir. Quanto ao futuro dos relacionamentos, é fato que o que ocorre na sociedade, principalmente as mudanças, causam uma comoção geral, mas acaba havendo um efeito de amortecimento ao longo do tempo e a novidade cede lugar ao costume. Segundo Freud, não é de hoje que se reconhece um mal-estar geral na civilização, que sempre esteve aí, antes mesmo do celular. O fenômeno “phubber” em questão bem pode representar uma atualização deste mal estar permanente.




Veja também

Os pratos mais deliciosos do Deville Prime Cuiabá

5 destinos da Região Centro-Oeste para você conhecer

Reserva online