Saiba mais sobre o novo sistema de pagamentos que promete revolucionar a vida do consumidor brasileiro

Cheque, cartão de débito, cartão de crédito, boleto bancário, internet banking e agora o Pix. Os sistemas de pagamento vivem em constante atualização no Brasil. Prometendo revolucionar a transferência de valores entre pessoas e empresas, a novidade causa curiosidade, entusiasmo e até um certo receio entre os consumidores. 

Pensando nisso, o Deville preparou um material especial com informações sobre essa nova forma de pagamento que promete revolucionar o dia a dia dos brasileiros. Confira! 

A história do Pix 

Criado pelo Banco Central, o Pix começou a funcionar no dia 16 de novembro de 2020 e possibilita transferências e pagamentos a qualquer dia e hora de maneira instantânea. O significado do nome vem das iniciais que representam “pagamento instantâneo”, enquanto o “x” retrata o símbolo matemático que tem múltiplas finalidades.  

Entre os diferenciais do serviço estão a agilidade nas transações e a segurança que o sistema oferece. Isso porque, uma vez que um Pix é realizado, as informações são checadas pelo Banco Central, liberando o dinheiro apenas após a conferência dos dados do recebedor e pagador.  

Apenas 10 segundos 

Enquanto um DOC ou TED podem levar horas ou dias para serem realizados, 10 segundos é o tempo máximo necessário para uma transferência através do Pix. Outro benefício é a possibilidade de realizar transações 24 horas por dia, 7 dias por semana, mesmo em finais de semana e feriados.  

O novo sistema permite também a realização de pagamentos de contas e serviços em tempo real. Portanto, com o Pix você não precisará mais de dinheiro ou cartão para idas a mercados, lojas, restaurantes, entre outros estabelecimentos.  

Quem pode usar? 

O Pix é um sistema amplamente democrático, para a sua utilização basta possuir uma conta, poupança, corrente ou pré-paga, em uma instituição financeira ou de pagamento credenciada.  

As transações são feitas pelo celular ou computador, por meio do aplicativo ou site da instituição financeira escolhida.  

Sem intermediários 

O Pix tem como missão facilitar e livrar os usuários dos intermediários entre as contas. Como o dinheiro é enviado diretamente da conta de origem para a conta de destino, fatores como bancos, máquinas de cartão, processadores, entre outros tornam-se desnecessários.  

E o DOC? E o TED? 

Uma das dúvidas mais frequentes é: outros sistemas de transferência e pagamentos vão continuar existindo? A resposta é sim. Porém, a tendência é que cada vez mais pessoas migrem para o Pix por sua facilidade e baixo custo. Por exemplo: pessoas físicas ficarão isentas de taxas para suas transferências e pagamentos e a expectativa é de que empresas paguem um valor menor do que o praticado atualmente em suas transações.  

Os bancos também irão se beneficiar com o Pix, uma vez que as instituições pagarão apenas um centavo a cada dez transações pelo serviço, enquanto atualmente cada TED custa um total de 6 centavos. 

Gostou de conhecer mais sobre o Pix? Então continue acessando o blog do Deville para mais conteúdos como este! 

 




Veja também

Conheça os principais museus do Mato Grosso do Sul

Quinzena do Turismo: Hotéis Deville oferecem 15% de desconto

Reserva online