A decoração de um hotel, sem dúvida, faz toda a diferença na hospedagem. Aproveitando que dia 30 de maio é o Dia do Decorador e para conhecer como funciona a escolha dos itens que irão compor cada projeto, conversamos com o gerente de Arquitetura da Rede Deville, René Felipe Schuchovski Giuliani.

Para começar, você sabia que a decoração nos hotéis tem vida útil? Mas existem algumas formas e recursos para torná-la mais duradora. Primeiro é preciso escolher estilo a ser adotado. O “design contemporâneo” é aquele que reflete as tendências do momento em que estamos vivendo, apropriando-se de cores, materiais, texturas e tecnologia atuais. De outro lado, temos o “design atemporal” que busca compreender nosso mundo, sem distinguir um estilo específico de vida e não se baseia em tendência muitas vezes fugaz. “Ele não imprime o espírito de uma determinada época, se comparado ao que chamamos anteriormente de ‘design contemporâneo’. Consegue abranger de forma mais ampla e igualitária todos que desfrutam de seus espaços, tornando-o mais durador e com ar de naturalidade”, diz Giuliani.

Indiferente do tipo de design a ser proposto na ambientação dos hotéis é essencial que a decoração promova conforto, estímulo e interatividade. “Tenho a convicção que ambientes mais criativos têm maior valor que a pura ostentação. Nos dias atuais, o luxo e o requinte excessivos perdem espaço para a funcionalidade, criatividade e o bom gosto. É de extrema importância que os hóspedes se sintam bem em nossos hotéis e surpreendidos pela dinâmica dos espaços”, complementa.

Após ser construído ou reformado, algumas atualizações de revestimentos, objetos decorativos e móveis podem ser programadas para 7 anos. Já mudanças completas e mais estruturais podem ser planejadas de 14 em 14 anos.

Identidade – Para que o hotel tenha sua identidade própria e transmita ao viajante o ar da região que está localizado é bastante interessante que a decoração esteja diretamente relacionada com a cultura local. “Procuramos ter o cuidado de incorporar elementos, texturas, cores e objetos que remetam à cultura da região de uma forma natural na decoração”, diz. Isso pode ser percebido nos hotéis Deville Prime Cuiabá e Deville Prime Campo Grande, por exemplo, onde foram incluídos traços e elementos da cultura indígena na decoração. “A aquisição de peças locais e a valorização do artesanato regional reforçam a personalização do espaço, além disto, transmitem ao hóspede que ele está vivenciando, mesmo que dentro do hotel, um pouquinho da região que está visitando”, afirma.

Praticidade –Vale lembrar que a facilidade de limpeza e a resistência dos materiais são requisitos indispensáveis na escolha dos acabamentos e dos itens de decoração do hotel. “A durabilidade tanto estética como técnica deve ser pensada em conjunto para um melhor resultado. Hoje, vivenciando uma fase complexa e cercada de novos protocolos, percebemos que as escolhas certas garantirão uma maior facilidade na limpeza e a longevidade da decoração”, aponta Giuliani.

Projeto luminotécnico – A luz tem a capacidade de transformar ambientes, mexendo com nossos sentidos e sensações. Cada ambiente precisa ser pensado de acordo com seu uso e suas funcionalidades. “Em alguns locais, a iluminação deve ser focada, apenas valorizando os detalhes desejados. Já em outras situações, ela deve trazer a claridade necessária para garantir o uso adequado que o ambiente propõe”, orienta.

Quarto de hotel em casa – Para trazer aquele diferencial que os hotéis possuem para dentro do quarto de cada um, em casa, podem-se aproveitar muitos conceitos utilizados na hotelaria, como por exemplo:

– Valorizar o espaço de dormir caprichando na aquisição de um belo enxoval. Vale reforçar que as cores neutras na roupa de cama facilitarão a composição com qualquer tipo de decoração a ser escolhida;

– Explorar o uso de almofadas com estampas e cores sobre a cama. As capas com zíper para estas peças facilitarão a limpeza e a substituição na hora que você cansar da decoração;

– Escolher objetos decorativos que tragam identidade ao espaço;

– Proporcionar diferentes cenas de iluminação. Elas poderão ser acionadas de acordo com o uso e cada momento. Uma dica para evitar mudanças nos pontos fixos de iluminação é o uso de abajures e colunas de piso, pois trarão facilmente esta dinâmica na iluminação do ambiente;

Gostou das dicas? Você também pode conferir mais dicas e sugestões, no vídeo que o gerente de Arquitetura da Rede de Hotéis Deville, René Felipe Schuchovski Giuliani, gravou e está disponível nas redes sociais do @hoteisdeville a partir do dia 30 de maio:

www.instagram.com/hoteisdeville

www.youtube.com/c/hoteisdeville




Veja também

Descubra o que fazer com as melhores fotos de viagem

São João no Deville Prime Salvador

Reserva online