O mercado de trabalho vem sofrendo grandes alterações com o advento das novas tecnologias e uma das grandes tendências é o êxodo do escritório tradicional. Cada vez mais empresas tem aderido ao home office e muitos profissionais tem apostado no modelo de nomadismo digital, um estilo de vida onde se vive e trabalha sem endereço fixo. Em 2016 o Google apontou que as pesquisas para os termos “trabalho remoto” e “nomadismo digital” duplicaram, comprovando a expansão desse movimento empresarial. O blogueiro Fábio Mesquita trabalha como nômade digital desde 2014. Além de escrever um blog sobre viagens, ele trabalha como consultor de mídias sociais e explica que as opções aumentam a cada dia nessa área, mas dependem muito das habilidades de cada um. “Não é uma vida fácil, requer sacrifícios e muito planejamento. Viajar por longos períodos de tempo, assim como não ter família e amigos do lado, o conforto de casa ou a certeza de que teremos dinheiro ou não no mês seguinte para continuar na estrada são alguns pontos. Mas saber que estamos conhecendo o mundo, podemos trabalhar hoje de frente para o mar e na semana que vem olhando para uma montanha é algo incrível”, revela o nômade. Fotógrafos, designers, programadores, vídeo makers, escritores, copywriters e consultores são algumas das “profissões” que mais vemos entre nômades digitais e, na maioria das vezes, eles acabam trabalhando dentro de hotéis e hostels. “O mais importante para um nômade digital é ter um WiFi rápido e confiável, já que estamos quase sempre conectados e fazemos muitos downloads e uploads. Ter um local tranquilo para trabalhar como um lounge, lobby ou café, por exemplo, onde possamos sentar e focar em nossas tarefas”, afirma Fábio. Os hotéis da rede Deville já estão preparados para receber esse tipo de viajante e todos os apartamentos têm uma mesa de trabalho e internet gratuita para hóspedes e participantes de eventos. Alguns hotéis possuem ainda um meeting room, com um custo adicional, e capacidade para 10 a 12 pessoas. “Nos hotéis de Maringá, Salvador, Campo Grande e Porto Alegre possuímos salas para pequenas reuniões com televisão. Equipamentos audiovisuais podem ser alugados, assim como videoconferências podem ser solicitadas, mas tudo deve ser reservado com antecedência, pois dependemos da disponibilidade do espaço e dos serviços extras a serem contratados”, acrescenta o gerente de relacionamento da rede Deville, Lucas Raganhan. Leia também:Como equilibrar as vidas profissional e pessoalComo evitar estresse depois do trabalhoConheça as profissões em alta no mercado




Veja também

Como escrever um e-mail corporativo?

5 ótimos passeios bate e volta saindo de Curitiba

Reserva online