Não são apenas as suas qualificações que vão te levar ao emprego certo. Nem somente o famoso “estar no lugar certo, na hora certa”. Além de uma combinação destes fatores, é preciso dedicar um pouco de tempo para a formulação de um currículo completo e que chame a atenção de possíveis empregadores. Segundo a psicóloga e analista de RH Natalia Fantini, o currículo pode ser o que determina se o candidato será ou não chamado para uma entrevista: “As chances de ser chamado para entrevista são bem maiores ao enviar um currículo completo e atualizado. Indica que o candidato teve um cuidado e dedicação ao escrever seu currículo e que está se empenhando na busca de um emprego”. Mas quais informações devem constar num currículo? E como formatá-lo corretamente? O Deville Starclub separou algumas dicas para você. Mas, antes, vale lembrar que não existe um modelo rígido de currículo e que cada escolha que você faz dá um toque mais pessoal ao seu currículo. Os essenciais “Algumas informações não podem faltar no currículo”, diz Natalia. São elas que dão à empresa uma noção básica de quem você é e mostram por que você é (ou não) a pessoa que deve ocupar o cargo a ser preenchido. Elas são: Dados pessoais: “É fundamental colocar o nome completo, data de nascimento, estado civil, endereço/bairro e contatos, como telefone e e-mail”, enumera a psicóloga. Sobre os contatos, ela alerta: “Não é indicado colocar e-mail informal, se for necessário crie um email para questões profissionais”. Escolaridade: é preciso colocar o nível de escolaridade, o nome do colégio ou universidade, assim como o nome do curso e o ano de conclusão (ou previsão de conclusão).Outros cursos e atividades: “É importante também colocar outros cursos realizados como idiomas, informática ou pertinentes à vaga a que está se candidatando”, explica Natalia. Contar sobre sua carteira de motorista ou o trabalho voluntário que você realiza pode prender o interesse de quem avaliar o seu currículo. Experiências profissionais: não é necessário colocar todas, bastam as três últimas e qualquer outra que seja relevante para a vaga. Além do nome e do ramo da empresa, do cargo ocupado e das datas de entrada e saída, é importante descrever brevemente as funções desempenhadas. Lembre-se de que sinceridade também é essencial ao descrever suas qualidades e competências. Os opcionais e os dispensáveis Alguns dados podem ser incluídos “a gosto”, mas não são indispensáveis, como nacionalidade, quantidade de filhos para quem os tem e disponibilidade de horário. Não coloque documentos como RG e CPF pra evitar exposições. Fotos são opcionais, embora haja quem as considere absolutamente dispensáveis. Caso você opte por anexar uma ao seu currículo, a psicóloga dá a dica: “Procure uma foto discreta e profissional; fotos em momentos informais ou acompanhado de mais pessoas não são apropriadas”. Como formatar o currículo? Linguagem e formatação A “estética” do currículo pode estar diretamente relacionada à área de trabalho. Um designer ou um publicitário, por exemplo, podem optar por fazer um arquivo em imagem, com mais cores. Porém, o “feijão-com-arroz” serve para todo mundo e diminui as chances de erro. Tente colocar todas as informações essenciais em, no máximo, duas páginas. As folhas devem ser A4 brancas ou eco. Opte por fontes mais sérias e de fácil legibilidade, como Verdana, Arial ou Calibri, com tamanho 11 ou 12 e nas cores preta ou azul. Efeitos como o negrito e o itálico podem ser usados em títulos ou para dar destaque a alguma informação. Quanto à linguagem, escreva de maneira formal, utilizando a terceira pessoa e evitando abreviaturas. Seja objetivo e, ao final, verifique a ortografia: erros de português e parágrafos confusos podem custar a vaga dos sonhos.Não existe uma ordem certa para colocar as informações, mas quem entende do assunto tem recomendações. Natalia revela a dela: “Sugere-se começar pelos dados pessoais, seguir com as informações de escolaridade e cursos de aperfeiçoamento, na seqüência as experiências profissionais e finalizando com as observações como pretensão salarial e de função, descrição de competências e outras informações que você considere pertinente”. Uma última dica… Seguir estas sugestões pode ajudá-lo a formular um currículo que funcione como um bom cartão de visitas. Mas Natalia tem uma última dica essencial para aqueles que estão buscando um novo emprego: “Finalizando, a dica mais importante é seja sincero na entrevista e em todo o processo seletivo. Não existe candidato perfeito, fale dos seus pontos fortes e pontos a melhorar, dessa forma terá mais chances de entrar numa função na qual possa se sentir satisfeito com as atividades que desempenha e a cultura da empresa. Natalia Fantini Psicóloga graduada na Universidade Positivo, graduanda em especialização de Gestão de Pessoas na FAE Centro Universitário. Analista de RH do Grupo Sip – Gestão de Pessoas nas atividades de recrutamento e seleção, avaliação psicológica e dinâmicas de grupo.




Veja também

5 sites para encontrar histórias incríveis de viagem

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Reserva online