Força, flexibilidade, equilíbrio e coordenação são algumas das capacidades motoras trabalhadas em uma única aula de Pilates. Mas não é só. A prática da modalidade também promove a correção postural. E essas qualidades fazem dela uma das atividades físicas mais completas oferecidas no mercado atualmente. “Acho difícil alguém criar algo tão completo quanto o Pilates, podendo ser realizado por qualquer pessoa”, declara Diogo do Carmo Souza, professor e sócio-proprietário de uma rede de estúdios de Pilates, em Curitiba (PR). O Pilates hoje é praticado em duas vertentes, no solo, conhecida como Match Pilates, e em aparelhos. No solo, as variações do método são feitas sobre o tatame e em um grupo grande de pessoas, utilizando alguns acessórios, como a bola. Nessa modalidade, o aluno terá a possibilidade de fortalecer a coluna, trabalhando o abdômen e lombar, por exemplo. Ele também pode recorrer ao Match para complementar outra atividade física, como a musculação. Nos aparelhos as aulas podem ser individualizadas ou feitas em até quatro pessoas, para possibilitar que o professor possa corrigir a postura do aluno durante a realização de todos os exercícios. “Nos aparelhos, será feito um trabalho completo, personalizado e geral, de equilíbrio, coordenação, diminuindo e tratando lesões”, afirma. Com a aparelhagem, a atividade desenvolvida segue à risca o método original, proposto pelo alemão Joseph Pilates, que possibilita realizar inúmeras variações de exercícios e trabalhar mais de uma capacidade motora ao mesmo tempo, como equilíbrio e flexibilidade, ou força e coordenação. “Ainda, há o fortalecimento postural, pois vários grupos musculares são exercitados ao mesmo tempo, diferente da musculação – realizada de forma analítica, isolando assim as cadeias de músculos”, explica o educador físico. Com essas características, o método permite que o professor monte um treinamento diferente para cada aula, para mexer com o corpo inteiro. De acordo com Souza, isso estimula o aluno, pois se torna um desafio para eles. Sem contraindicações Para praticar não há contraindicações, embora seja necessário apresentar uma autorização médica para confirmar que o aluno está apto a realizar qualquer tipo de exercício. Caso apresente alguma lesão, o médico ortopedista precisa prescrever o problema junto ao atestado. Assim, o professor poderá montar um treinamento com o objetivo de promover a melhora do trauma ou, ao menos, não afetar o desempenho físico dele. “Hoje em dia, é muito comum as pessoas apresentarem alguma lesão. É muito difícil alguém chegar (ao estúdio) sem nenhum pequeno problema. Então, os professores necessitam das informações para realizar o melhor trabalho”, completa. Para quem procura o Pilates e está lesionado, a sugestão dada pelos estúdios de Souza é que esses alunos optem pelas aulas individuais ou, no máximo, em dupla. Pilates para homens De acordo com o professor, muitos homens praticam a modalidade, na maior parte da vezes, somente quando o médico prescreve a atividade para auxiliar no tratamento de algum problema ou quando a esposa pede. Ele afirma que é muito difícil um homem procurar o estúdio por vontade própria. “Do nosso público, 65 a 80% são mulheres. Os homens ainda têm certo preconceito por não conhecerem exatamente o que é o método, ou acharem que é muito fácil. Mas não é”, acrescenta. Conforme explica, as mulheres estão mais por dentro das tendências do mercado e procuram realizar uma atividade física prazerosa. “Muita gente busca o Pilates porque não gosta do ambiente da academia e daquela monotonia da musculação, quando o aluno fica dois a três meses na mesma sequência de exercícios. No Pilates, cada aula é diferente uma da outra”, declara. Para conhecer um pouco mais sobre o que é e como surgiu o Pilates, Souza indica o vídeo “A história animada do Pilates”, com um pouco mais de seis minutos. Para assistir, acesse: http://www.youtube.com/watch?v=XcXszuucND8.




Veja também

Quais as comidas típicas de Cuiabá?

Como a inteligência artificial é utilizada para auxiliar no tráfego aéreo?

Reserva online