Apenas 30 segundos é o tempo estimado em que uma pessoa forma a primeira impressão de outra, indicam pesquisas. Nesse período de tempo, características da personalidade e humor, a origem e o grau de autoconfiança são analisados. Cada ação e cada aspecto da aparência fazem parte dessa avaliação. E para ajudar os nossos leitores em sua apresentação, inclusive no ambiente profissional, a edição de hoje é sobre estética para homens, mais especificamente, cabelos. Entrevistamos o especialista Fernando Baleiro, cabeleireiro do Lady&Lord Cabeleireiros e Estética, em Curitiba. “Cabelos mais “batidinhos” embaixo e mais volumosos em cima são os mais adequados para quem quer transmitir uma imagem mais executiva”, afirma. Segundo ele, cortes irregulares combinam mais com ambientes de trabalho informais. Para quem tem o cabelo grisalho, o profissional recomenda o uso de finalizadores – aqueles produtos para fazer acabamento, como sprays, pomadas e ceras – e xampus que dão aos fiosa impressão de terem mais cor. Na hora de escolher os produtos, deve-se atentar para que eles sejam adequados ao tipo de cabelo. Também é importante variar regularmente a marca. O correto é não aplicar gel, pomada ou creme para pentear na raiz dos cabelos. Os cortes de cabelo devem ser feitos a cada 15 dias, no máximo. “A ideia é que em nenhum momento seja notado que a pessoa cortou o cabelo”, diz Baleiro. Na hora de lavar os cabelos, não esfregue o produto na cabeça. Massagear é o correto. Lave em dias alternados. A temperatura da água deve ser de morna para fria, ou seja, em torno de 23ºC. Escovas de bambu ou madeira são as mais indicadas para pentear. Para secar, não esfregue a toalha nos fios. A forma certa é apertar o tecido contra os cabelos.  

Mercado de produtos para homens no Brasil

  O Brasil é um dos mais promissores mercados de produtos especificamente para os homens. O investimento deles nesses quesitos é crescente no mundo inteiro, principalmente aqui. De acordo com a Euromonitor Internacional, somos o segundo maior consumidor de cosméticos para homens. Perdemos somente para os Estados Unidos, mas a expectativa é que os brasileiros ultrapassem os americanos. Os gastos deles com a beleza foram de R$ 9,7 bilhões em 2013, ou seja, mais que o dobro das estatísticas de 2009, segundo a Associação Brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). É esperado um crescimento de 80% nos próximos quatro anos. Veja também: A barba grande faz parte de seu estilo?




Veja também

Qual melhor forma de realizar uma apresentação para clientes?

4 vinícolas para visitar na serra catarinense

Reserva online