Na hora de utilizar looks mais modernos, muitos profissionais ficam em dúvida sobre como combinar os calçados com a roupa sem tornar o visual esportivo. A boa notícia é que dá para aliar elegância e conforto. Confira a seguir as dicas da consultora de estilo e designer de moda Cláudia Piantini, analista em imagem, estilo de vida e comportamento, especialista em consultoria de imagem masculina, feminina e corporativa.  

1. Evite tênis

Tênis é um calçado muito casual, ideal para idas ao parque e atividades físicas. No entanto, no mercado corporativo, torna-se uma peça demasiadamente informal. Para ficar alinhado, sem abrir mão do conforto, Cláudia indica o uso de sapatênis. E reforça: é o tipo de tecido que trará o conforto.  

2. Não abuse das cores

As roupas não devem destoar do sapato. Para estar alinhado, busque cores monocromáticas ou aposte no tom sobre tom. Uma camisa bege claro com calça bege em tom mais escuro combina com sapatênis marrom escuro ou azul marinho, por exemplo.  

3. Atenção à sola do sapato

Um item que traz muita casualidade e até certa infantilidade é a sola colorida do calçado. Por isso, dê preferência a solas que não sejam muito diferentes da cor principal do sapatênis, mantendo novamente as cores dentro do ciclo monocromático e realçando, assim, uma imagem de seriedade.  

4. Cuide-se

Assim como nossa entonação de voz e as palavras utilizadas comunicam, da mesma forma a maneira de se vestir e calçar também trazem informações. Um sapatênis sujo e envelhecido pode passar ao outro a sensação de descuido e colocar por água abaixo a imagem que você luta para construir em seu dia a dia corporativo. O mesmo vale para unhas, cabelos, barba e até mesmo relógios.  

5. Reforce o seu estilo

O diretor de uma empresa deve passar credibilidade em todas as situações que o envolvem, inclusive na composição de um estilo próprio, alinhado ao setor e função em que atua. “O executivo de uma empresa de celulose, por exemplo, tende a trazer mais formalidade às roupas e calçados, enquanto um diretor da área publicitária pode ser mais informal”, explica a especialista. Claudia chama a atenção para o fato de que, em sociedade, tendemos a pré-conceber costumes. “Nós temos códigos dentro do mercado corporativo, que nos dão mais rigidez ou identificação na imagem. Um juiz, por exemplo, se colocar uma gravata muito florida ou estampada, pode perder a rigidez na imagem”, complementa. A consultora reforça, entretanto, que não se deve mudar de estilo como quem muda de empresa ou decide ir a uma festa diferente. “O teu estilo é o teu jeito de ser. Então, quanto mais levar sua essência, mais firmeza terá nesse ser”, pontua.    




Veja também

5 sites para encontrar histórias incríveis de viagem

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Reserva online