Institucional

Índia

Por Administrador em 27 de setembro de 2011

Um destino repleto de mistério, misticismo e espiritualidade: é impossível separar a Índia da cultura rica de seu povo e dos princípios do hinduísmo, religião adotada pela maioria dos habitantes locais. Para os ocidentais, a viagem tem tudo para se tornar uma experiência intensa e cheia de aprendizado. Além de se deparar com valores importantes como a não violência e evolução constante, seguidos à risca pelo povo, os visitantes também conhecem todas as faces de um país contraditório, onde a miséria completa divide as ruas com carros e mansões luxuosas. Foram estes contrastes que chamaram a atenção da bacharel em Comércio Exterior, Tábata Polo Picolo (24). Em 2004, ela partiu para uma viagem de intercâmbio de um ano no país, atraída pelas diferenças culturais e pela possibilidade de conhecer uma realidade totalmente diferente da brasileira. Tábata conta que teve surpresas positivas e negativas durante sua estada. De acordo com ela, a espiritualidade é um dos traços mais marcantes desse povo que vê lições em todas as dificuldades, medita, pratica yoga e prega a não violência. Mas os contrastes também podem ser notados em vários aspectos. Palácios históricos cobertos de ouro se espalham em meio a uma cidade praticamente sem redes de esgoto e com uma rede elétrica precária. O trânsito também pode assustar. Os sinaleiros são raros e os pedestres lutam para atravessar as ruas movimentadas, como conta Tábata . “Carros, motos, bicicletas, ônibus, rickshaws (um táxi menor e mais barato, de três rodas), carroças, vacas e até manada de búfalos dividindo o mesmo caminho, e a organização é na base do barulho e muitas buzinas”. Enquanto parte da população sofre com a miséria, o país se destaca na área de tecnologia, sendo um dos líderes de desenvolvimento de softwares. As diferenças estão até mesmo na paisagem: “mendigos nas portas dos palácios e dos carros importados. Desertos que chegam a 50°C, florestas tropicais, savanas e montanhas onde a neve nunca derrete. Não é para ficar boquiaberto com todos esses contrastes?”, completa Tábata. deville_india1.jpg Em um país com 80 línguas oficiais, mais de 400 dialetos e milhares de deuses e semi-deuses (um para cada família, de acordo com os hinduístas), pode-se imaginar que a confusão será uma constante durante a viagem. Ledo engano. Os indianos tratam seus visitantes com muita hospitalidade, sempre prontos para ajudar e curiosos sobre seus costumes. “O estrangeiro, se respeitar as tradições da Índia, é bem tratado. Há quem fale que são considerados como deuses por lá”, conta Tábata. Atrações na Índia Por ser um país extenso, a Índia apresenta características diversas em cada região. Ao Norte, onde o país é delimitado pelo Himalaia, está Delhi, a capital do país e sua segunda maior cidade. Entre os pontos turísticos estão o Forte Vermelho e o Jama Masjid, além da Tumba de Humayun e o complexo governamental Rashtrapati Bhavan. Além de seus monumentos e obras arquitetônicas de valor inestimável, Delhi também oferece aos visitantes excelentes opções de mercados e restaurantes, onde são servidos os melhores pratos locais. No norte também se encontra a cidade de Agra, onde está o famoso Taj Mahal, construído pelo príncipe Shah Jaham em homenagem à sua mulher após sua morte. A construção é um dos símbolos máximos do amor, tendo sido totalmente inspirada pelo sentimento. Agra também abriga o Red Fort e a cidade fantasma Fatehpur Sikri, duas belíssimas obras. deville_india2.jpg O estado de Rajastão é um dos mais importantes do país. Nele, os turistas podem passear de camelo pelos desertos próximos e visitar alguns dos fortes e palácios mais bonitos da Índia, muitos deles ainda em estilo feudal. Quer fugir das cidades e se isolar em um ambiente tranquilo e lindíssimo? A região do Himalaia está repleta de resorts renomados, que oferecem todo conforto e luxo em um cenário inesquecível. Amantes de esportes também se sentirão em casa; o local permite a prática de trilhas, acampamentos, esqui, escalada, entre outros. Ainda é possível percorrer trilhas ao longo do Rio Ganges, sagrado para os moradores locais, e visitar cidades medievais, templos e florestas próximos à região central do país. Na viagem em direção ao sul, o clima fica mais ameno. Nessa região, a cidade de Chennai, capital do estado Tamil nadu, chama a atenção pelos traços deixados pelos colonizadores ingleses, que fundaram a cidade há 350 anos. Os visitantes podem conhecer a Igreja de St. Mary, o Templo Kapaleeswarar e o Parthasarathy, além da praia Marina. As cidades de Bangalore e Mysore, no estado de Karnataka, também merecem uma visita. Bagalore é um importante centro de produção tecnológica e Mysore chama a atenção pelos palácios e pelas atrações próximas, que incluem o templo Chamundeswari, em cima de uma montanha, o Santuário dos Pássaros e o Nagarhole National Park. Ao leste, está a cidade de Calcutá. Repleta de palácios, museus, hotéis de luxo e clubes, entre outras atrações, a cidade fica especialmente bonita de outubro a novembro, durante o festival hindu Durga Puja. Entre as principais atrações da cidade estão o Memorial Victoria, o Forte William e a Catedral St. Paul. No oeste, Pune é a segunda maior cidade, se destacando pela sua infraestrutura educacional e pelo pólo industrial de tecnologia de informação e companhias automotivas. Quem procura belas praias pode ir ao estado de Goa, uma das regiões mais ricas do país, onde também se estão belas construções em estilo barroco, como a Igreja de São Francisco de Assis. Esta é a única praia da Índia onde os turistas podem aproveitar o mar em trajes de banho; os indianos costumam ir à praia de roupa, por isso, a dica é ficar próximo aos hotéis se você está de biquíni ou sunga. Mumbai é a capital do estado Maharashtra e uma das cidades mais populosas do mundo. A segunda cidade mais importante da Índia é sede de várias empresas e de Bollywood, a indústria indiana de cinema. Amantes da história também podem visitar Aurangabad no mesmo estado. A cidade histórica está repleta de construções fantásticas, como Ajanta, o forte Daulatabad e Bibi Ka Maqbara, uma réplica do Taj Mahal. Costumes Ao visitar o país, é importante estar atento às diferenças culturais e de costumes. Na índia, não se entra em casa com sapatos – os indianos não levam a sujeira das ruas para dentro dos lares. Tábata conta que o costume visa manter o ambiente propício para a família, “assim o ambiente fica mais limpo e purificado dos problemas e energias ruins da agitação do lado de fora. Nos templos a mesma coisa, calçados são deixados nas escadarias antes da entrada”. As refeições costumam ser apimentadas e a maioria da população é vegetariana, graças ao princípio da não violência. Para comer, os indianos usam as mãos. Além de verificar a temperatura dos alimentos, as mãos desempenham outra função: “Eles afirmam que as pontas dos dedos são extremidades de nosso corpo que possuem muita energia, e passam isso diretamente para a comida. Com isso a absorção dos nutrientes é melhor realizada e o alimento se torna até mais saboroso”. As tradições com as mãos também são específicas. Enquanto a mão direita serve para comer e cumprimentar as pessoas, tocar alguém com a mão esquerda é considerado uma agressão., pois ela é usada para a higiene íntima. Tábata dá a dica: “indianos não tem o costume de usar papel higiênico. Turistas podem encontrar em super mercados, hotéis e nos toaletes de bons restaurantes. Sempre carregue um na bolsa”. Beijos em público são proibidos e vistos como um escândalo pelos habitantes locais – sim, você pode ser preso. O sexo também é um tabu e a maioria dos jovens guarda as carícias mais íntimas para depois do casamento. Outro costume interessante é a interação entre os homens, “Homens são frequentemente vistos abraçados, com as mãos dadas, ou até sentados um no colo do outro. É um hábito muito comum de amizade e camaradagem”, conta Tábata. Dicas para a viagem Como em qualquer viagem, é importante estar atento à segurança e saúde durante sua estada. Informe-se em seu hotel e com pessoas que já viajaram sobre locais a serem evitados, saia sempre com guias e mapas e cuidado com a alimentação. É essencial encontrar locais confiáveis para realizar as refeições, já que a Índia enfrenta alguns problemas de saneamento e saúde pública. Muitos indianos falam inglês, o que facilita a vida dos turistas. Não se esqueça de negociar sempre os preços, você pode conseguir ótimos descontos em serviços e produtos. Prefira visitar o país nos meses de inverno na Índia, quando as chuvas são mais raras e as temperaturas mais amenas. Se você vai visitar o país pela primeira vez, lembre-se de partir aberto a novas ideias e costumes. É preciso respeitar os costumes locais, a religião e as pessoas. Não use decotes e roupas que deixem os moradores constrangidos. Tábata aconselha viajar sem pressa: “Aproveite cada momento. Prove todas as comidas diferentes, vá às feiras de rua, visite templos, mesquitas, explore a cidade, interaja com a população, ande de elefante, de camelo, etc. É uma experiência única e cada segundo perdido é muito tempo”.




Veja também

As vantagens e desvantagens dos fones de ouvido sem fio

O que é gastronomia molecular?

Reserva online