Cassio Faria, gerente de Alimentos e Bebidas Corporativo dos Hotéis Deville, fala sobre a diversidade de alimentos encontrado no Brasil e como eles podem ser explorados na culinária de cada região do país. Confira a entrevista a seguir: Hotéis Deville: Na Coleção do Chef dos Hotéis Deville, os chefs da rede são incentivados a utilizar ingredientes regionais nos pratos propostos por eles mensalmente. Qual a importância de valorizar esses alimentos produzidos em cada região Cassio Faria: Nas minhas aulas de gastronomia como professor, sempre reforcei que a utilização de ingredientes regionais ou a culinária regional, propriamente dita, estão atrelados à noção de sustentabilidade e de valorização dos pequenos produtores, evitando desgastes desnecessários com transporte e agregando valor ao produto. HD: Como é possível fazer o uso dos ingredientes regionais na culinária tradicional? Essa prática é comum no Brasil? CF: Neste sentido – utilizando o exemplo do estado de Minas Gerais -, temos uma ótima posição geográfica para explorar a regionalidade, pois possui uma identidade gastronômica expressiva. Como o estado é grande, cada região dentro dele se destaca a sua própria maneira. Ao norte de Minas, valorizam-se as frutas do cerrado, como a semente da castanha-de-baru e o pequi. Nas regiões central e Zona da Mata, temos a couve e o quiabo. Ainda, existe a taioba e o peixinho-da-terra, que é uma verdura mais conhecida como orelha-de-coelho, e o cará. Outro novo ingrediente pouco conhecido da região de Minas e descoberto recentemente é o palmito brejaúba, que nasce em uma faixa de vegetação cortada pela Zona da Mata. É um palmito tão versátil quanto o pupunha e fica delicioso assado. Ele tem um amargor que não é comum, pois é extremamente delicado e equilibrado. Assim, cada região explora o que a terra oferece de melhor e utiliza técnicas modernas de gastronomia na criação de novos pratos. HD: Em outros países, o uso de ingredientes regionais também é incentivado na gastronomia? CF: Ingredientes locais ou regionais são uma tendência mundial. Os principais restaurantes no mundo usam produtos verdes e os transportam em veículos não poluentes. E muitos desses estabelecimentos deixam de ter jardim para cultivar a própria horta.  De modo geral, em se tratando de culinária regional, cada país e região tem sua culinária própria, que depende não só da mistura de culturas, mas principalmente dos ingredientes disponíveis. HD: O Brasil é rico na diversidade cultural. O mesmo acontece na culinária? Por que é importante para o país incentivar a produção dos alimentos regionais? A culinária regional brasileira é resultado de um processo histórico, carregada dos mais diversos elementos e de diversas procedências, que foram modificados, mesclados e adaptados. Não podemos pensar em uma cozinha brasileira sem pensar em miscigenação.




Veja também

Os melhores smartphones de 2019

Quais são os lugares do Brasil mais visitados por turistas estrangeiros?

Reserva online