Gastronomia

extravia mala

Por Administrador em 18 de outubro de 2013

Ao caminhar pelas prateleiras da seção de vinho de um supermercado, tenha certeza: boa parte das garrafas foram produzidas no Chile. Isso acontece porque cerca de 40% dos vinhos consumidos no Brasil são chilenos. A marca registrada dos vinhos chilenos é seu custo-benefício, ou seja, são vinhos relativamente baratos e de boa qualidade. O enólogo e blogueiro do Papo com Bacco, José Antônio Marussig, mais conhecido como Maru, explica que a indústria do Chile teve um grande desenvolvimento na década de 1970 e, desde então, se tornou um grande produtor e exportador – e também o preferido dos brasileiros. A grande diferença do país é seu terroir, sua geografia e clima. Por ser um país vertical, com influência do Oceano Pacífico e da Cordilheira dos Andes, o Chile tem diferentes climas e solos, o que permite grandes produções de uva, com alta sanidade. Por isso, o preço dos vinhos é menor do que outros produtores. A maior vinícola chilena, Concha y Toro, foi uma das grandes responsáveis por fortalecer a imagem de custo-benefício do vinho chileno. Além de produtos que custam relativamente pouco, na faixa de R$ 20, também tem vinhos que podem chegar aos R$ 600. “Entretanto, os produtores menores, as boutiques de vinhos Premium chilenos, não gostam dessa imagem de vender vinhos mais baratos e estão tentando revertê-la”, diz Maru. Alguns desses vinhos mais caros já são comparados aos mais elegantes e refinados europeus. Vinhos chilenos Uvas tintas Maru destaca que a uva mais reconhecida no Chile é a Cabernet Sauvignon. “Foi a que melhor se adaptou aos vários climas do país e ela dá origem aos melhores vinhos chilenos”, diz. Entretanto, o país adotou como sua a uva Carménère, que havia sido reconhecida como extinta na França. Apesar de ser a uva ícone, Maru acredita que a Carménère não apresenta ainda o mesmo potencial da Cabernet Sauvignon, apesar de agradar o público feminino, por ser mais leve e frutada. Uvas brancas O Chile tem desenvolvido bastante a produção dos vinhos brancos, por conta do seu clima especial. “Ele permite que se plante todas as uvas tidas como internacionais”, explica Maru. Nas brancas, o grande destaque fica para a Sauvignon Blanc, mas também há produções de Chardonnay, entre outros. Dicas Maru também separou alguns vinhos abaixo de R$ 100 que têm um ótimo custo-benefício. Confira! Tintos Santa Rita Medalla Real Cabernet Sauvignon Marquês de Casa Concha Cabernet Sauvignon Santa Ema Merlot Gran Reserva Ventiquero Grey Cabernet Sauvignon Casa Silva Carmenere Reserva Santa Ema Amplus Carmenere Brancos Cono Sur 20 Barrels Limited Sauvignon Blanc Casa del Bosque Sauvignon Blanc Caliterra Sauvignon Blanc Carmen Reserva Sauvignon Blanc Casa Lapostolle Chardonnay Errázuriz Max Reserva Chardonnay Haras de Pirque Elegance Chardonnay




Veja também

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Home office está surpreendendo os empresários

Reserva online