Gastronomia

Apimentando o prato

Por Administrador em 9 de novembro de 2011

Basta ouvir a palavra “pimenta” e os sentidos são aguçados: o sabor forte e picante é apreciado por amantes da boa comida cheia de tempero. Boas notícias para quem não dispensa um toquezinho de pimenta em qualquer receita, seja como tempero em saladas ou no preparo de pratos quentes: além de saborosa, a pimenta traz vários benefícios para a saúde. Há dois mil anos ela já era usada por tribos primitivas de forma terapêutica, para aliviar dores de dente e de estômago. Suas propriedades analgésicas e antiinflamatórias foram objeto de uma pesquisa feita na Faculdade de Nutrição da PUC-RS, que comprovou: a pimenta também diminui o risco de doenças cardiovasculares. Tudo culpa da capsaicina, o princípio ativo da pimenta, que melhora a circulação sanguínea e também é uma forte aliada na prevenção de bronquite, colesterol, gripes e amigdalite. São tantas variedades de pimenta que fica difícil listar todas. Entre as mais conhecidas na culinária brasileira estão a pimenta-do-reino, malagueta, dedo-de-moça, caiena, calabresa, jalapeño e habanero. Você sabe o que cada tipo de pimenta tem de especial? – Pimenta-do-reino: nas versões branca, vermelha, preta ou verde, costuma ser moída na hora, deixando os pratos com um toque picante de pimenta fresca. – Malagueta: é um tipo de pimenta bem forte, com sabor muito picante e bastante aromática – e também é uma das mais populares no Brasil, usada para temperar as feijoadas. – Dedo-de-moça: ela é mais suave que a malagueta e também é muito usada na culinária brasileira, no preparo de molhos, peixes e até de algumas sobremesas. – Caiena: uma variação da pimenta malagueta, de sabor acentuado, e bastante saudável – possui grande quantidade de vitaminas. – Calabresa: é a pimenta vermelha desidratada, usada em linguiças e salames, para dar um toque picante a estes embutidos. – Jalapeño: tipo de pimenta bastante usado na culinária mexicana. O sabor é picante na medida e também combina com alguns pratos orientais, como o yakissoba. – Habanero: pode ser encontrada nas variedades amarela, laranja ou vermelha. É uma das pimentas mais picantes, que deixa o sabor bastante marcado em qualquer prato – e no paladar também. Uma ótima forma de ter o tempero sempre à mão é manter a pimenta em conserva, assim dá para guardar o sabor da especiaria – e ainda ter deliciosos aperitivos. Confira uma receita simples e prática para fazer pimentas em conserva. Você vai precisar de um vidro grande (1 litro ou mais), que deve ser esterilizado antes. O processo de esterilização é simples: em uma panela grande e alta, cubra o fundo com um pano de prato, coloque os vidros afastados e distantes das bordas, encha com água filtrada e leve ao fogo. Quando levantar fervura abaixe o fogo, tampe a panela e deixe esterilizar por 10 minutos. Desligue o fogo, espere esfriar e retire da água. Ingredientes para a conserva: – 600 g de pimenta (pode ser de qualquer tipo, inclusive você pode misturar pimentas diferentes numa mesma conserva) – 250 ml de aguardente ou vinagre – 1 colher de sopa (rasa) de sal – 100 ml de azeite – Especiarias à sua escolha: alecrim, cebola, pimentão, alho, folhas de louro. Coloque todos os ingredientes dentro do pote de vidro – se quiser, pode adicionar mais algum tempero do seu gosto. Depois é só fechar bem o pote e guardar por 15 dias em ambiente seco e sem incidência de sol. Pronto! Sua pimenta em conserva está pronta para ser usada seja como aperitivo, tempero de salada ou complemento de diversos tipos de pratos.




Veja também

E-mail, carta ou telefone: como convidar para um evento?

Por que fazer turismo na África?

Reserva online