Carreira e Negócios

Mudança de profissão

Por admin em 13 de setembro de 2011

Você escolheu a carreira de dentista, mesmo tendo pavor de ver sangue e hoje sua frio sempre que entra no consultório. Resolveu ser advogado, mas a burocracia e a rotina do escritório são maçantes, e você conta as horas para o final de semana. Nada é mais frustrante e difícil do que tocar uma carreira que não tem nada a ver com você. E os sintomas podem ser sérios: falta de vontade de trabalhar, má qualidade do trabalho, ansiedade, gastrite, estresse e até depressão. Uma situação incômoda, e muito mais comum do que se imagina. De acordo com uma recente pesquisa da Associação Brasileira de Recursos Humanos, 65% das pessoas consideram uma mudança de profissão. Foi o que aconteceu com Allan de Angeles, que escolheu a engenharia de alimentos pela obrigação de fazer um curso superior. “Tinha uma banda de rock na época e estava focado nisso. Havia assinado com uma gravadora há pouco tempo, e apostava nessa banda”, conta Allan, e completa, “Meu pai não concordava com essa escolha e (exercendo sua autoridade de pai) me obrigou a trocar a banda pelo vestibular”. Allan começou a perceber o erro quando cursou as matérias específicas do curso, “Confirmei o equívoco no dia-a-dia, dentro de uma fábrica, durante um estágio no 4º ano do curso”. Os momentos de dúvida costumam surgir ainda durante a graduação ou após alguns anos de atuação. Os primeiros sinais de que há algo errado são a ansiedade, irritabilidade, impaciência, uma visão negativa da empresa e desinteresse pelo trabalho. É preciso avaliar se você se sente feliz e motivado pela profissão, se gosta dos desafios e possui objetivos. Se você leva seu trabalho nas coxas, não se sente animado com as conquistas e pensa constantemente em maneiras de mudar de área, esse é seu momento. Allan conta que terminou o curso, mas a desmotivação era grande. “Fiquei sem trabalhar na área durante algum tempo depois de me formar. Trabalhei em outras coisas nesse período e percebi que esses trabalhos alheios à engenharia me faziam mais feliz”. Quando o assunto é a sua carreira, uma coisa é certa: é praticamente impossível ser um bom profissional sem gostar da profissão.É preciso ter motivação para levantar todos os dias e passar horas em uma mesma atividade. Salvo em casos em que a necessidade de manter uma renda segura a pessoa em seu emprego, a melhor saída para melhorar a qualidade de vida é encontrar uma profissão que tenha tudo a ver com você. Assim que optar pela mudança, comece com calma. É importante estar consciente de que mudar envolve um gasto de energia, tempo e dinheiro. Pesquise e obtenha todas as informações que puder sobre a área em que pretende atuar. Fale com profissionais, visite empresas, comece a frequentar eventos e realizar cursos relacionados. Ter um objetivo bem definido é importante, mas o caminho a seguir varia de caso para caso. O importante é não ficar parado. No caso de Allan, a saída foi seguir uma vocação percebida ainda na infância: “Sempre tive um perfil criativo, desde criança, e no momento em que não estava trabalhando depois da graduação pude refletir sobre a nova escolha. Procurei um amigo que trabalhava em agência de propaganda, ele me contou sua experiência e me recomendou a tentativa”. Allan fez um curso de criação publicitária durante um ano e entrou como estagiário em uma agência. Hoje Allan é publicitário e atua como Diretor de Arte em uma agência em Curitiba, Paraná. Como fazer a mudança A melhor maneira de fazer a mudança varia de pessoa para pessoa. Em alguns casos, fazer uma nova graduação, uma especialização que se aproxime do que você deseja ou cursos profissionalizantes é o melhor recomeço. Eles dão uma base ao profissional e ainda proporcionam o contato com o mercado de trabalho. Não tenha preguiça de voltar a estudar. Também é possível tentar uma mudança dentro de uma empresa. Ingresse na sua área antiga e, aos poucos, adquira experiência para mudar. Você pode informar os seus superiores sobre a sua intenção. Procure também por indicações de conhecidos, que podem facilitar seu ingresso em uma nova área, e verifique se a empresa compreende e aceita o seu objetivo. Muitas pessoas também optam por abrir uma empresa na área desejada. Se você tem espírito empreendedor e nenhuma preguiça, essa é uma ótima alternativa. Você vai precisar de um investimento inicial e conhecimentos sobre a administração, por isso, não abra mão da orientação de pessoas experientes e de cursos relacionados. O importante, de acordo com Allan, é não ter medo da mudança, nem que pareça tarde para recomeçar. “Se tivesse persistido no erro, talvez hoje fosse um experiente e infeliz engenheiro de alimentos”, conta. O publicitário ainda dá um conselho importante: “Pode parecer que as coisas nunca vão acontecer na sua vida, que tudo está longe e que você não terá outra oportunidade. Hoje olho 5 anos para trás e vejo o quão importante foi minha decisão, mesmo que em meio a muita insegurança e receio”. Dificuldades na profissão Apesar de ser extremamente importante estar atento aos sinais de que é hora de mudar, cuidado com as armadilhas. Nenhum emprego é perfeito; você sempre vai lidar com clientes impacientes, um chefe neurótico, colegas chatos ou tarefas cansativas. Saiba separar esses incômodos normais de uma frustração com a profissão. Avalie se a causa da sua insatisfação é realmente a sua carreira, ou se ela vem de uma empresa que não valoriza seus funcionários, por exemplo. Você se sentiria melhor atuando em sua área, mas em outro local? Com outras pessoas? É realmente necessário abrir mão de toda a carreira porque o seu emprego atual não é desafiador? Pense com cuidado antes de mudar, para evitar arrependimentos.




Veja também

Os pratos mais deliciosos do Deville Prime Cuiabá

5 destinos da Região Centro-Oeste para você conhecer

Reserva online