Uma carreira longa em uma empresa ou aproveitar a rotatividade do mercado? É difícil escolher qual é o melhor rumo a seguir. Tudo depende, especialmente, da área de atuação do profissional, porque cada segmento do mercado de trabalho vê com olhos diferentes o currículo dos candidatos. Estabilidade Trabalhar muitos anos na mesma empresa pode ter seus pontos positivos e negativos. A especialista em transição de carreira da De Bernt Entschev Human Capital, Izabel Araújo, explica que é importante atrelar o tempo de permanência com o desenvolvimento e crescimento da companhia. Aproveitar as oportunidades, seja de ascender no cargo ou tomar a frente de projetos desafiantes, é bem visto por profissionais de Recursos Humanos e headhunters. “Essa dinâmica da permanência contribui para o currículo se o profissional mostrar que trouxe uma solução importante para a empresa. No entanto, se a pessoa não mostrar que cuida do seu alto desenvolvimento, esse longo período pode ser prejudicial”, diz. Para a especialista, isso mostra que a pessoa estava numa zona de conforto e não procurou oportunidades dentro da própria empresa. Mudança Izabel destaca que algumas áreas permitem uma mudança maior de emprego. “Nos últimos cinco anos, a área de tecnologia tem permitido grande mobilidade, já que muitos profissionais se tornaram consultores.”, afirma. Mas, para profissionais gerenciais, é importante mostrar que, mesmo com o período curto de permanência na organização, a atuação dentro da empresa trouxe contribuições efetivas. “Mas, se o candidato mostrar que essas mudanças foram por instabilidade e insatisfação, é um aspecto negativo”, explica a especialista em transição de carreira. Por isso, ao ser entrevistado, o profissional deve evidenciar essa contribuição positiva. Caso contrário, o entrevistador pode perceber que o candidato tem um nível de exigência das organizações acima ou fora do real. Como decidir Se você recebe uma nova oferta de emprego ou quer buscar algo novo, é necessário levar em conta alguns pontos: – Área de atuação: Se você trabalha com tecnologia ou com negócios, os movimentos são mais dinâmicos e é possível fazer um bom trabalho em pouco tempo. Mas, se você trabalhar com administração ou áreas executivas, um ano em uma empresa não é suficiente para implantar uma solução e acompanhar seu resultado. – Saiba defender suas escolhas: Ter um plano de carreira bem definido passa segurança para o entrevistador. Por isso, deixe seus objetivos claros e esteja pronto para responder sobre a mobilidade da carreira. – Tenha uma atuação efetiva: Independentemente do tempo de permanência na empresa, ofereça uma atuação que traga resultados. – Não se deixe levar pelo salário: A mudança de emprego só por razões financeiras pode acarretar em uma má impressão do mercado. Por isso, identifique se a nova oportunidade se encaixa nos seus objetivos profissionais.




Veja também

Categoria Premium é inaugurada no Deville Prime Salvador

Os melhores países para fazer intercâmbio

Reserva online