Com apenas 24 anos, Laís Rocha Leão tornou-se a jovem brasileira mais influente do mundo. Entenda o motivo

No dia de hoje, começaremos uma série muito especial em nosso blog. Todos os textos desta semana serão em homenagem às mulheres. O motivo disso se dá devido à comemoração do Dia Internacional da Mulher, no próximo dia 8 de março.

A postagem de hoje faz referência a Laís Rocha Leão, a jovem brasileira mais influente do mundo. A paranaense representou o Brasil, em junho de 2018, no European Development Days, em Bruxelas, na Bélgica.

Esse evento estimula jovens de todo mundo, com idades de 21 a 26 anos, a compartilharem suas ideias à igualdade de gênero e ao empoderamento feminino.

É preciso ser influente!

O painel, no qual Laís participou, falava sobre o espaço urbano e a desigualdade de gênero. O objetivo central do debate era entender de que maneira essa desigualdade gera uma outra série de problemas de gênero.

Dessa forma, o painel apresentava as percepções do tema e as possíveis sugestões para que essas questões possam ser resolvidas de uma forma mais rápida.

Apresentação de Laís

Neste evento, Laís apresentou os resultados do seu Trabalho de Conclusão de Curso. A temática central do trabalho era o quanto o medo das mulheres era capaz de fazer com que elas não ocupassem os espaços urbanos da mesma forma que os homens.

Laís conta que entrevistou 530 pessoas sobre a percepção de segurança que elas tinham. Um dos resultados mais expressivos foi que os homens sempre optam por caminhos mais curtos, mesmo tendo que passar por ruas estreitas e mal iluminadas. Já as mulheres escolhem o caminho mais longo e com ruas largas e mais iluminadas.

ONG TETO

Depois que se formou, Larissa ingressou na ONG TETO, que ajuda comunidades a desenvolverem soluções urbanas. Em inúmeros trabalhos sociais, Larissa afirma que as mulheres periféricas se sentem inseguras ao entrar na cidade formal.

Atualmente, Laís é coordenadora de diagnóstico e avaliação da ONG TETO, no Paraná. A jovem brasileira lidera mais de 150 voluntários na coleta de informações durante os eventos.

Laís afirma que a grande dificuldade da periferia é ter poder de voz. Segundo ela, para que essa parte da população possa ser ouvida, é preciso fazer estudos e apresentar dados que mostram a urgência de uma participação mais ativa dessa parte da população.

Além disso, a jovem brasileira afirma que, nas comunidades mais carentes, as mulheres acabam virando líderes quando o tema é urbanização. O motivo disso é a necessidade de prospectar o melhor para os seus filhos.

É inegável o trabalho de Laís Rocha Leão. Com apenas 24 anos, ela é capaz de trazer debates relevantes acerca da necessidade de falar mais sobre a desigualdade de gênero. A jovem é a brasileira mais influente do mundo.




Veja também

Quais as comidas típicas de Cuiabá?

Como a inteligência artificial é utilizada para auxiliar no tráfego aéreo?

Reserva online