Ter uma ideia não é suficiente para ser um empreendedor. Para definir como seguir a carreira, seja criando sua própria empresa ou crescendo dentro de uma organização, é importante verificar as características do profissional, já que uma escolha não é melhor do que a outra. Entender essas diferenças pode ajudar a pessoa a atingir um nível de excelência em sua atuação profissional. Diferenças A coach licenciada da Sociedade Brasileira de Coaching (SBCoaching) Cibele Nardi explica que a maior diferença entre o empreendedor e o empregado é que o primeiro está disposto a assumir riscos. “Para empreender, o profissional precisa ser ousado e saber criar e enxergar oportunidades que os outros não vêem”, explica. Outra questão é que o empreendedor necessita encontrar a sua automotivação. “O funcionário é direcionado e conduzido, sempre estimulado. Já o empreendedor necessita encontrar um motivo interno, pois ninguém vai lembrá-lo de prazos e necessidades”, destaca Cibele. Proatividade Apesar das diferenças, ambos precisam ser proativos para terem sucesso em suas carreiras. “O que faz com que um funcionário se destaque é ele não fazer apenas a obrigação, é o gestor saber que pode contar com ele”, explica a coach. Tenho a ideia e agora? Para decidir se é hora de empreender, Cibele indica uma autoavaliação. “Estou pronto para me conduzir sozinho? Vai me trazer retorno? Existe mercado para isso? Essas questões devem ser feitas pelo empreendedor”, explica. A coach destaca a necessidade de avaliar também se a pessoa é organizada e se planeja. Para ela, sem um plano de ação e uma boa gestão do tempo, o projeto pode trazer mais riscos. É importante fazer análises cuidadosas, para estar preparado caso surja algum problema.




Veja também

5 sites para encontrar histórias incríveis de viagem

Viagens curtas de carro são opção durante a pandemia

Reserva online